Tag Archives: Turismo

Portugal Imaginado na EXD09

Portugal_Imaginado_JoanaMariana1Portugal_Imaginado_JoanaMariana2

Somos participantes da exposição da ExperimentaDesign 09—Timeless—comissariada pelo Frederico Duarte e pelos Pedrita patente no Museu do Oriente até dia 8 de Novembro.

Partimos do trabalho de João Abel Manta para publicar um pequeno caderno a que demos o nome de Portugal Imaginado:

A identidade de um país é construída através da representação de um imaginário colectivo idealizado, evidente nas imagens de promoção turísticas. As imagens/lugares partem da história e da memória fabricando códigos que perpetuam essa imaginação colectiva. João Abel Manta propõe um “Turismo Novo”, duas composições fotográficas (Algarve e Braga) publicadas no Diário de Lisboa em Maio de 1974. JAM apropria-se de imagens de divulgação turística identificadas com a divulgação feita pela Secretaria Nacional de Informação para aí inscrever, numa atitude de rebelião, os ideais da revolução. O que importa aqui evidenciar é como a acção de JAM propõe uma nova leitura turística—o graffiti/mural está ligado ao 25 de Abril, sendo uma marca da inscrição, característica contrária à ordem e limpeza destacadas nos cartazes do SNI. Diz-se que JAM teria uma forma rápida de trabalhar e de reagir aos acontecimentos. É fácil imaginar o entusiasmo que contaminou o processo, a urgência, por detrás do projecto…

Mais sobre a exposição Timeless (e também sobre o nosso projecto) pode ser lido na conversa entre os comissários, Aurelindo Jaime Ceia e Eduardo Afonso Dias.

Anúncios

Cartaz turístico

O cartaz é de João Abel Manta, data de 1975. É uma nova versão dos cartazes de propaganda do SNI, ao Algarve. É também um dos trabalhos mais bonitos feitos no período pós-revolução, uma reflexão sobre a anterior propaganda ao país, feita pelo Estado Novo, subvertida, pelos ideais de liberdade. Diz “turismo novo” e SNI (secretariado nacional de informação) tem um traço em cima. O período pós 25 de Abril foi um período riquissímo em manifestações na rua, e este cartaz de Manta, tira partido disso, ao mesmo tempo que não esquece o passado.